O Diário da Princesa, de Meg Cabot

quarta-feira, 21 de outubro de 2020

Resenha publicada pela primeira vez em 29 de Agosto de 2018, quando o Projeto era atualizado no blog Limonada.


Quando idealizei o Projeto Rata de Biblioteca, minha principal intenção era mostrar que as bibliotecas públicas possuem muito mais do que clássicos e livros de cunho estudantil. Não foi por acaso que quando apareci no Limonada contando sobre a ideia, recebi algumas respostas que só confirmavam o quanto essa visão distorcida do que é uma biblioteca está inserida nas pessoas, então imaginem só a minha alegria quando encontrei O Diário da Princesa, um livro teen, disponível para empréstimo. Inclusive, Princesa Paçoca (a cachorrinha da foto), a primeira de seu nome, também recomenda a leitura.

O Diário da Princesa, primeiro livro da série de mesmo nome, escrita por Meg Cabot, nos conta a história da adolescente Mia Thermopolis, filha de pais separados que vive com a mãe, Helen, uma excêntrica artista que mesmo com ajuda à distância do pai, criou sua filha sozinha. O sucesso da série de livros rendeu um filme homônimo, produzido pelos estúdios Disney, assimilando a personagem principal ao rosto da atriz Anne Hathaway. No entanto, para quem assim como eu assistiu ao filme muitas vezes antes de ler a obra, as diferenças entre ambos podem ser surpreendentes.

A ideia do diário surge quando a mãe de Mia nota que a filha não tem muita facilidade para dizer o que a incomoda no dia-a-dia, presenteando-a com um caderno para que a escrita seja para ela uma forma de expressão. Assim, o leitor não encontra uma história com capítulos, mas sim páginas do tal diário em ordem cronológica, tendo acesso não só a tudo que acontece, mas a cada pensamento da adolescente: suas visões ambientalistas, feministas, sua dificuldade em entender matemática — e até algumas anotações da matéria espalhadas entre seus desabafos , sua difícil relação com o próprio corpo, seus amores não correspondidos, e para o horror de Mia, o namoro de sua mãe com seu professor de álgebra.

As diferenças que chamam atenção entre o livro e o filme, aparecem quando no livro descobrimos que o pai de Mia, Phillipe, ainda está vivo  no filme, é um personagem inexistente , e aparece em sua casa um belo dia com a notícia de que bom... Mia é a herdeira do trono de Genóvia, país onde seu pai e sua avó reinam, e agora que seu pai teve um câncer no testículo (SIM!)  o que comprometeu sua chance de ter mais filhos , a única opção que resta para Mia é aceitar seu futuro como princesa de Genóvia.

Além disso, no filme tudo acontece muito rápido, em um dia Mia está vivendo normalmente e de repente passou por uma transformação e está morando com a avó no castelo. Já no livro, creio que até por ser uma série, chegamos ao seu final sem ter acompanhado a vida de Mia em Genóvia, sendo todo o enredo mais voltado para sua (não) aceitação do futuro, os desentendimentos com sua avó, que ao contrário do filme, tem um relacionamento mais difícil com a neta, as brigas com sua melhor amiga Lily, que por não saber o que está acontecendo com Mia, acaba a tratando injustamente, e o que provavelmente definirá o futuro entre a personagem principal e Michael Moscovitz, irmão mais velho de Lily, por quem Mia começa a nutrir sentimentos românticos.

É um livro muito leve e divertido, mas algumas obviedades do enredo tornam a personagem de Mia uma “sem noção”, o que me incomodou um pouco, como o fato de todas as férias ela visitar castelos com seu pai e ser recebida por limusines com seguranças no aeroporto e nunca ter cogitado a ideia da sua família paterna possuir um reinado.

*:・゚✧*:・゚✧ POR QUE LER UM LIVRO ADOLESCENTE? *:・゚✧*:・゚✧

Se você gostou da adaptação cinematográfica, ou se gosta de comédias românticas, O Diário da Princesa é definitivamente seu tipo de livro. A escrita da Meg Cabot é leve, e ótima para quem está se interessando por ler mais, mas também consegue ser uma boa distração para aqueles que leem há mais tempo. 

*:・゚✧*:・゚✧ POR QUE NÃO LER UM LIVRO ADOLESCENTE? *:・゚✧*:・゚✧

Não vejo motivos para deixar de ao menos conhecer a série através do primeiro livro, foi uma leitura prazerosa e que me deixou curiosa para sua continuação  que inclusive está disponível na biblioteca que frequento, o que me deixou imensamente feliz. Só não recomendo mesmo se o mundo adolescente não te agrada mais. 

Pra quem é dos filmes: como já dito, existe a adaptação para as telonas, mas no caso de O Diário da Princesa 2: O Casamento Real, o enredo não possuí vínculo com nenhum dos livros escritos por Meg Cabot. 
Pra quem é dos memes: esse tweet curiosamente surgiu no meu feed depois de ter lido o livro, e confesso ter rido muito. 



Pra quem é das curiosidades: Meg Cabot contou em seu site oficial que quando adolescente, seu pai faleceu e sua mãe começou a namorar com um de seus professores, assim como Helen, mãe da Mia. 

Em um quote:

"[...] você não pode se demitir de quem é.”


Postar um comentário

▫Spam não são publicados.
▫Costumo responder todos os comentários no blog de quem os faz, se você estiver em anônimo, volte ao post em que comentou que responderei no mesmo.
▫Obrigada por visitar! 💖

Instagram siga @rbiblioteca